Cuidado com os pets em veículos

Cuidado com os pets em veículos

Considerados membros da família, cães e gatos costumam seguir os donos para todos os lados. Eles, claro, também andam de carro. Segue algumas dicas importantes dos cuidados para transportar seus bichinhos:

1-Caixa de transporte

Em caso de acidente de trânsito, um animal de 5 quilos pode ser arremessado com a força de 50 quilos. Além dos riscos de saúde, transportar os animais soltos no carro pode resultar em multa e até acarretar em apreensão do veículo.

Para garantir uma viagem segura, o motorista precisa estar concentrado no trajeto e sem a preocupação de onde e de como está o pet. Portanto, veterinários recomendam que os passeios sejam feitos com o cão ou gato devidamente acomodados, de forma que fiquem protegidos no caso de uma colisão.

Muitos resistem em usar caixas de transporte, pela sensação de confinamento que ela pode causar. Mas ela é bem segura e fácil de ser encontrada. Procure uma caixa que tenha aberturas e seja bem ventilada, para que o seu animal de estimação tenha um pouco de conforto. Por mais que só a caixa já pareça segura o suficiente, é necessário mantê-la fixa ao assento do carro.

Gatos vs. cachorros

Os gatos costumam gostar desse jeito de serem transportados e entram na caixa sem grandes problemas, pois é um ambiente confortável e isolado. Já no caso dos cães, a situação é um pouco mais complicada, pois alguns nem entram nesse formato e os que entram ficam irritados, mostrando que não gostam do local, devido à sensação de prisão.

Tamanho da caixa

Às vezes, o espaço pode aparentar ser grande o suficiente para que caiba o cachorro ou gato, mas lembre-se que é fundamental ter certeza disso. Quando for comprá-la, leve o pet junto para medir a caixa.

O espaço ideal não é menor nem maior, mas o suficiente para o conforto. Se a caixa for muito grande, ela perde a função de segurança, pois o espaço sobrando permite que, em situação de acidente, o pet bata nas laterais, podendo se ferir.

2-Bolsas e cadeirinhas

Geralmente, as bolsas e cadeirinhas para transporte no carro são feitas de lona com outros tecidos e, por isso, são confortáveis e também apresentam segurança.

A maioria das bolsas e cadeirinhas possui cintos internos e devem ser anexadas ao banco. Esse método é adequado para animais de pequeno porte, que não pesam mais do que 10 quilos.

3-Cintos de segurança

Os cintos de segurança são indicados para cães. Nele, o cão fica sentado no banco traseiro bem como qualquer outro passageiro humano. É bem fácil de usar, versátil e atende a todos os portes de animais, sendo a preferida para os pets maiores.

Além de ser adaptável aos diferentes tipos de veículos, é ergonômica e segura. Costuma ter preço acessível e funciona como um peitoral que é prendido no mesmo local do cinto de segurança.

4-Paradas programadas

Além dos métodos para transporte o ideal é que sejam feitas paradas a cada duas ou três horas, no máximo, quando o percurso for longo.

Durante esses descansos, encontre um local adequado para que seu pet faça as necessidades e tome um pouco de água. Mantenha-o preso a uma coleira e também recolha a sujeira que ele fizer.

5-Alimentação

Não alimente o seu animal de estimação nas três horas anteriores a saída, evitando que ele fique enjoado, mesmo que ele esteja habituado a viagens e não costume ter náuseas nem vômito. Reduza, também, a quantidade de comida oferecida para não aumentar a defecação. Quando chegarem ao destino final, lembre-se de que ele precisa ganhar mais ração e finalizar a refeição.

Se o animalzinho for muito agitado ou mesmo com os cuidados ele passa mal, existem remédios para garantir um trajeto tranquilo, mas, para isso, consulte o veterinário. Cada pet tem características únicas de saúde, então o ideal é que o medicamento seja prescrito especialmente para cada um.

Desta forma seu bichinho de estimação estará seguro e tranquilo para seguir viagem.

(41) 4063-8879
Quero vender
Fale Conosco
Whatsapp